Mensagem do pároco › 17/06/2014

Memorial do amor

Memorial do amor

 

Como padre, presido muitas celebrações eucarísticas e distribuo a Eucaristia. Em várias ocasiões, observei as mãos das pessoas que recebiam a hóstia consagrada.

Como são diferentes! Não só pelo fato de ser homem ou mulher, negro ou branco, mas são diferentes na textura da pele, no tamanho, nas marcas da vida… Isso leva-me a meditar sobre o sentido da Eucaristia. O sacramento da unidade, da doação do Cristo, da libertação que ele nos trouxe por sua vida, morte e ressurreição. A Eucaristia é sinal perene do amor do Cristo pela humanidade, é memorial de sua salvação dirigida e realizada por todos. Na missa, todos são um com Cristo e, na fila da comunhão, não há distinção: todos se dirigem até Jesus eucarístico e comungam de sua vida.

Não é um ato para ser vivido só ali, mas um ato contínuo na vida. Recebemos Cristo para levá-lo aos outros, para configurá-lo em nossas vidas na realidade que nos cerca. A Eucaristia nasce num contexto de refeição, de confraternização (Jo 13), onde Jesus faz o gesto de lavar os pés e fala que devemos amar uns aos outros como ele amou. Portanto, Eucaristia fala de serviço e de amor como o Mestre fez. Não é possível fazer comunhão com Cristo sem fazer comunhão com os outros, com a comunidade de fé, com os pobres e sofredores, com a defesa da vida, da paz, da justiça.

Eucaristia é antecipação do céu: nela, todos somos iguais, somos irmãos, experimentamos a salvação do Cristo, saboreamos o mistério. Ela nos convoca para o apostolado, para a implantação do Reino de Deus em nossos corações e na sociedade. Próximos à Festa de Corpus Christi, meditemos sobre a profundidade desse sacramento e deixemo-nos converter por esse mistério.

Boa semana.

Imprimir

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *