Mensagem do pároco › 11/03/2014

Conversão à…

Conversão à…

 

Viajando certa vez para Santa Catarina, confundi-me num trevo próximo à Curitiba (PR), onde precisava entrar antes de seguir viagem, e errei a estrada. Quando percebi o engano, retornar só seria possível 22 Km à frente. Fiquei desanimado e chateado com o meu erro: seriam 44 Km a mais para andar. Mas, não havia outra saída diante do erro cometido. E eu tinha consciência disso.

Ao começar esse texto, lembrei-me desse episódio, pois o tema aqui é conversão. Estamos no período da Quaresma e é um tema propício para esse tempo. Como cristãos, nosso objetivo maior é o seguimento de Jesus Cristo, é o seu projeto proclamado no Evangelho: o Reino do Pai. Rumo a esse objetivo, desviamo-nos muitas vezes ao longo do caminho, pegamos atalhos ou estradas que nada têm a ver com a mensagem cristã. Precisamos, então, converter para a trilha certa.

É comum, quando notamos nosso erro, nosso desvio, ter a tendência de culpar-nos, de ficarmos com raiva e até desanimados, ainda mais se é um desvio que repetimos sempre. Pode ser que o processo de conversão seja longo e exija paciência conosco mesmo. Agora, uma vez conscientes do engano, não dá mais para permanecer paralisado ou no caminho errado. Mas, sempre haverá placas indicativas e combustível de sobra que é a graça de Deus.

O período da Quaresma nos é dado pela Igreja como um tempo favorável de reflexão e de revisão para retomarmos o rumo em direção a Cristo e seu projeto detalhado no Evangelho. Cada um é convidado a rever sua caminhada e, quem sabe, fazer conversão ou mudar algum passo para caminhar melhor. Geralmente, a conversão é pessoal, mas pode ser também uma conversão familiar, pastoral, até da sociedade como na questão do tráfico humano, da justiça, da situação de miséria, da omissão frente ao sofrimento do outro. O necessário é reconhecer o desvio e dar o passo de conversão.

Lembre-se de que no Evangelho há inúmeros exemplos de que para Jesus não importa o passado, mas a atitude presente em direção ao futuro. Estamos juntos nessa, pode ter certeza.

Imprimir

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *