Mensagem do pároco › 25/02/2014

Cada um tem seu valor

Cada um tem seu valor

 

Você já comeu tutu à mineira? E virado à paulista? A base dos dois é feijão e farinha de mandioca, mas são feitos de maneiras diferentes. Os dois pratos são deliciosos. E existem mais diferenças entre os pratos regionais: cuscuz paulista é diferente de cuscuz do Nordeste; galinhada é um prato delicioso com arroz e galinha, mas tem temperos e formas diferentes de fazer em Minas, no Rio Grande do Sul ou em Goiás (por sinal, quando se usa pequi na galinhada de Goiás, é divino!). E queijo? Todos são à base de leite, mas quanta diferença entre o queijo coalho do Nordeste e o queijo feito em Minas!

Os pratos que citei têm a mesma base para o preparo, mas os ingredientes, o modo de preparar e até o de servir vão variar de região para região. Não há um melhor do que o outro. Uns preferem um jeito; alguns, o outro. Há até os que só sabem ou acostumaram com o prato daquele modo e nem se interessam por outro jeito.

Todo essa conversa sobre comida pode estar lhe trazendo água na boca, mas é uma introdução e um exemplo de como o preconceito, o racismo, a discriminação é uma tremenda ignorância e uma atitude totalmente anti-cristã. Podemos ter diferenças, pensamentos, culturas, corpos diversificados na pele, no sexo, mas todos temos o nosso valor e o nosso sabor único.
Jesus acolheu a todos e buscou levar a liberdade e a salvação a todos. Nós, cristãos devemos e precisamos viver a igualdade, a generosidade, a solidariedade, a comprrensão,a tolerânica, o amor. Cada pessoa tem seu valor em si, ou seja, ela já vale porque existe, porque é filha de Deus, porque é ser humano.

Se Deus ama e acolhe a todos, quem somos nós para não o fazermos.
Boa semana e minha benção.

Imprimir

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *